A Exposição - Teatro.

"Cada um vê o que sabe"- Bruno Munari.

O processo de construção da iluminação para o espetáculo A Exposição se deu através de algumas técnicas de composição baseadas em estudos do livro "La luz en el teatro " de Eli Sirlin. Mas precisamente o capítulo em que a autora fala sobre a percepção visual.


Como todo o processo de pesquisa, vários materiais e idéias foram assimilados ou hora descartados. Em conversa com a equipe de criação e em constante leitura do texto, decidimos em optar por uma encenação onde intérprete e público estariam juntos em cena, ou seja , descartamos por completo o espaço convencional do teatro que divide este espaço entre palco e platéia. E se tratando do texto que fala de uma exposição, nada mais pertinente que trazer o público para este espaço de "galeria de arte". Portanto esse foi o ponto de partida para a criação da iluminação. O Espaço.


Imagem como representação, Delimitação e sensibilização do espaço, Determinação e geração de espaço e formas através da luz, Critérios de composição espacial, Espaço dentro do espaço - côncavo e convexo, Luz, Sombra e Penumbra, foram conceitos retirados do livro de Eli Sirlin e colocados como pontos de reflexão para buscar uma linguagem para a composição da iluminação.


A partir destes questionamentos chegamos a um determinante, a luz deveria nos remeter a dois momentos: o primeiro uma luz de galeria (luz real) e um segundo momento uma luz cênica (luz simulada) que aos poucos fosse revelando ao espectador que não se trata de uma exposição e sim de uma fusão entre galeria de arte e palco de encenação.


Outro ponto forte na concepção da iluminação e para mim de grande importância, foi o fato do texto se tratar de uma exposição de artes plásticas em que não temos objetos de arte. Ou seja a luz aqui faria o papel destes objetos.

A luz atuaria como luz para a cena e também como objeto plástico. Luz e projeções de luz que criam formas que parecem ter massa e peso, embora sejam criadas apenas com luz.


Visibilidade seletiva - Revelação da forma - composição do espaço - impacto sobre nosso estado de ânimo - informação são métodos aplicados à produção deste desenho de luz.


As Cores foram escolhidas de acordo com a variação da luz branca em um espectro que vai do branco puro 6400k ao amarelado 3200k, salvo em um único momento em que temos o espaço tomado por uma massa de luz vermelha que contrastam com a luz Branca de alguns objetos cênicos que possuem luz.


Termino este pequeno texto agradecendo profundamente a Guilherme Bonfanti e a todos da SP Escola de Teatro por organizar o 2º seminário de iluminação cênica e trazer a nós iluminadores a fala desta incrível pesquisadora Eli Sirlin.

Documentação segundo a norma U.S.I.T.T. (https://www.usitt.org/lighting/)

Featured Posts
Recent Posts
Archive
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Search By Tags
Follow Us