Senhor Gozares e Serenata Orquestra


O projeto Senhor Gonzales tem um público muito específico e bastante assíduo. Trata-se de um platéia muito exigente e acostumada a assistir espetáculos ao longo de gerações. Este público tem um objetivo a mais alem de simplesmente assistir um espetáculo, ele é um público ativo, criativo e emocionado. Estamos falando aqui de um Baile. Mas um baile onde temos o show com uma banda ao vivo, comidas e bebidas, uma pista de dança, aula de dança, tradução em libras e um espaço fotográfico. Tudo isso associado a um repertório de altíssima qualidade executado por uma banda de multi-intrumentistas. Uma apresentação por mês, a cada apresentação um tema, novos arranjos, experimentos e muita dedicação.

André Gonzales, que também dirige o projeto, sugeriu que o espaço a ser apresentado o projeto fosse um local onde o público já estivesse familiarizado com este tipo de espetáculo. Portanto o Clube do Previdênciários foi o ponto de partida para o nosso desfio.

Para mim, buscar uma luz que cria uma visualidade estética agradável e harmoniosa, e que acima de tudo dialogasse com o tema de envelhecer com alegria e diversão, era um desafio estético. O que mais me aproximava deste tema era a experiência com o espetáculo de Dança Fio a Fio (Gisele Rodrigues e Edi Oliveira) que aborda em alguns momentos esta temática.

Algumas características sobre o BAILE.

O BAILE inicia as 16:00 da tarde e se estende geralmente até as 21hs. Ou seja eu teria pelo menos 3 horas de luz natural dentro do espaço da apresentação.

O Salão é um espaço que contem mesas e cadeiras para o conforto do público, e também uma pista de dança. Este espaço é bastante amplo com grandes janelas por onde entra a maior parte da luz natural se misturando a luz cênica. No teto do salão temos um forro estético de madeira na cor branca e alguns ventiladores espalhados pelo teto. Um palco ao fundo determinaria o espaço para a banda e para fixação dos equipamentos de luz.

Acessibilidade e banheiros bem cuidados, além de excelente limpeza, tornam o salão agradável e hospitaleiro.

Para compor o desenho de luz para esté espetáculo eu separei o salão em 3 áreas. Palco, Pista e Ambiente. O Palco com piso de madeira revestido de carpete marrom media 8 mt de comprimento por 6 metros de profundidade. Em cima deste palco temos um grid de Box Truss Q30 com 3 metros de altura. ( fotos 2D e 3D fotos ilustrativas do 3D GrandMA.)

Neste Palco colocamos os equipamentos para provocar os efeitos de luzes na banda e na pista que fica de frente para o palco. Assim podemos trabalhar uma visualidade mais misteriosa, com contrates fortes, cores em misturas variadas (cabe aqui lembrar do estudo sobre as cores RGB - Max Keler Ligth Fantastic Pag. 32 Color Mix ).

Neste grid colocamos 4 Mivung Red Giotto 400 Spot, 04 Muving Led Wash New Star, 04 Spider LIth LM80 ACME, 4 PAR LED Infinit Skypix 18x18w, 08 PC CTI, 02 Mini Brutt, 01 sistema DIMMER com 02 de Rack MPL 12x 4k 01 Power Racj 12x4k. 1800 metros fiação, 01 Fog Haze 600 Skypix, todo o equipamento foi controlado por 01 console Grand MA OnPc. Para ambientar a salão do clube Privê, instalamos 16 lâmpadas PAR LED RGBW 54x3w, que ficaram com a função de iluminar as colunas.

Fotos Paula Carrubba.

O baile é uma forma divertida de encontrar amigos, dançar boa música, e se divertir com as versões do repertório escolhido com muito carinho para embalar o fim de tarde de jovens e idosos, um espetáculo para todas as idades.

Na foto Esdras Nogueira (Sopros), Gustavo Dreher (teclados e efeitos) Andre Gonzales (Vocal) Fernando Jatoba (guitarra e cavaquinho)


Esse espetáculo contou com a participação dos técnicos Hugo e Valderci em todas as edições e montagens. Um agradecimento especial a equipe de produção local, produção executiva, equipe de som (Frango Caos) e demais participantes do projeto. Sem a participação de todos os envolvidos no projeto, não seria possível levar ao público de Brasília está experiência tão feliz e de enorme prazer. Obrigada a todos!

Projeto de luz: Moisez Vasconcellos.

Featured Posts